Adega da Formigosa

O edifício da adega insere-se numa quinta centenária, produtora de vinho, em pleno coração do Douro vinhateiro.
Trata-se de uma construção nova, de traça contemporânea, que utiliza como materiais de eleição o betão e a pedra de xisto característica da região.

ServiçoDesign de interiores da entrada da adega, escritórios, casas-de-banho e sala de provasLocalChanceleiros, Covas do Douro, SabrosaAno2019

Prerrogativas

Na entrada da adega será necessário criar um elemento que disfarce/oculte a porta do wc, que fica na parede frontal. Também importante, é transmitir, neste espaço, de uma forma marcante a imagem da marca, através da integração do logótipo.
O escritório deve comportar dois postos de trabalho, frente a frente. Na sala de reuniões, deverá existir uma mesa grande, oval, para 10 pessoas.
A sala de provas deve respeitar o layout previamente definido pelos proprietários, com uma copa/cozinha fechada, um balcão de atendimento à entrada, uma garrafeira de parede a parede e duas grandes mesas, com bancos para 40 pessoas, para provas de vinhos.
O espaço tem um pé-direito excepcionalmente alto, com a estrutura do telhado à vista. O pavimento é todo em xisto negro e as paredes em betão. A madeira a utilizar na garrafeira e nas peças de mobiliário deverá ser o carvalho.

Da vinha ao vinho: o processo

A uva é cortada pela mão do homem, transportada às costas, em cestos de verga, até ao lagar, onde é esmagada, fermentada e filtrada até se transformar em vinho. Repousa em barricas de carvalho até ser engarrafado em garrafas de vidro escuro, seladas com rolhas de cortiça e acondicionadas em caixas de madeira, onde viajará até à mesa de alguém.  É na adega que ocorre esta incrível transformação. E foi a este processo que fomos buscar a inspiração para o design de interiores da adega da Quinta da Formigosa.

A luz matinal que inunda os bardos da vinha / uma infinidade de tons de verde: do verde claro da uva ao verde escuro do vidro, quase negro / as texturas da pedra dos muros, da madeira de carvalho, da cortiça e do vidro, da verga e do xisto / e as inúmeras caixas empilhadas, sobrepostas num desafiante jogo de volumes, ora abertos, ora fechados, com uma organização intrínseca que ultrapassa o caos aparente.